Felicidade

Dei bom dia a um estranho e ele me respondeu sorrindo. Fiz o caminho mais longo até a estação de trem e o vento era fresco nas ruas por onde andei. Vi meu reflexo numa poça d’água e não me odiei.

Voltando pra casa no metrô, encontrei uma velha amiga. Conversamos sobre o tempo em que nada
nos aborrecia: sons, cores, cheiros, qualquer coisa trazia um novo velho sorriso.

Ouvi minha banda favorita no rádio da padaria, mais gente sorrindo mesmo com o céu ficando cinza.

Tomei o café da tarde com a minha mãe: coisa que há tempos não fazia.

Ser feliz é muito mais fácil do que todo mundo diz.

 

 

Começando 2014…

Feliz ano novo, minha meia dúzia de leitores! O ano começou há mais de uma semana, mas eu tava com preguiça de escrever aqui porque estava curtindo a vida adoidado fora da internet, o que pra mim significa assistir Doctor Who, tocar teclado e desenhar todo dia. 2014 vai ser um ano muito louco com muito trabalho e com muitas novidades por aqui: vou dar continuidade ao Um Desenho Novo Todo Dia, devo colocar músicas novas lá no SoundCloud e tem um novo projeto de ilustração a caminho e acho que vocês vão gostar bastante(em breve, dou mais informações por aqui). E é sobre desenho que eu vim falar hoje, com um pouquinho do que já produzi esse ano e no final do ano passado.

Vento
(30/12/13)

Continue lendo

Esse negócio de ser professor não é fácil

Durante boa parte do meu ensino médio e um pouco antes fui professor particular. Ajudava aquelas almas desesperadas a se salvarem das recuperações e não levarem coças de seus respectivos pais. Isso me ajudava a ficar sempre estudando, era de certa forma divertido e bancava meus caros materiais de desenho. Meus alunos tinham entre 14 e 18 anos. Minha mãe também é professora e também dava aulas de reforço nessa época, mas seus alunos eram menores, quase todos com menos de 10 anos.

Um dia, ela precisou sair e, coincidentemente, eu não tinha aula pela manhã nesse dia, então me pediu pra substituí-la. No dia anterior ela disse que era um grupo de irmãos que viria naquele horário. Estranhei, porque estava acostumado a dar aulas individuais, mas pensei “Grupo de irmãos pequenos? Isso vai ser fácil.” Mas eu estava profundamente enganado, meus amigos. Continue lendo