Por onde andei em: abril/2015

Entrei nesse site e tive que tapar o nariz pra não espirrar com tanta poeira. Enfim, sem querer enganar vocês, ando trabalhando/estudando pra caramba e atualizar isso aqui anda difícil, mas vocês me conhecem bem(ou não) e eu demoro um bocado, mas não deixo de postar nesse blog. Aproveitei o feriado sem muita coisa pra estudar e decidi atualizar isso aqui.

Vi esse post no blog da Aline Aimée e esse outro no blog da Leticce e pensei queum bom jeito de manter o blog atualizado seria contar pra vocês o que eu ando vendo/lendo/ouvindo/acessando por aí. Afinal, nem só de histórias fantásticas vive um blog, não é mesmo? Embora eu tenha um monte delas pra contar por aqui. Mas deixa eu contar pra vocês o que eu ando:

Assistindo…

Doctor Who (2005) – A série moderna voltou a ser exibida na TV Cultura e, tirando o fato de a dublagem deixar um pouquinho a desejar, é sempre bom ver o Doutor e seus amigos em suas aventuras pelo tempo e espaço, ainda mais acompanhado das minhas irmãs depois de um dia puxado de trabalho.

Doctor Who (1963) – Sim, eu sou um whovian maluco e decidi que precisava assistir a série clássica pra entender um pouco mais desse universo maluco do Doutor. Até agora, assisti 25 dos 29 arcos do Primeiro Doutor.

Begin Again, John Carney (2013) – Um filme lindo e divertido sobre como a música tem um importante  papel pra fazer a vida ganhar graça nas coisas comuns.

Vingadores: A Era de Ultron (2015) – Com certeza um dos filmes mais aguardados desse ano, ele se mostra super competente na sua proposta de ser um filme divertido para todos os públicos mas ganha um toque especial quando coloca algumas referências pros fãs mais hardcore de quadrinhos como eu. Ignorando um pouco a ciência(é um filme de herói e não é do Nolan, caras, aceitem isso) e sem esperar grandes aprofundamentos filosóficos sobre a questão da inteligência artificial, é possível se divertir bastante.

Akira, Katsuhiro Otomo (1988) – Uma animação de ficção científica sensacional com uma história que te deixa eletrizado até o último minuto.

Lendo…

Os olhos da pele: A arquitetura e os sentidos, Juhani Pallasmaa – Um livro bem específico da minha área mas que é interessante pra todo mundo que queira entender como o nosso mundo anda cada vez mais visual, ignorando as experiências completas que o corpo com todos os seus sentidos pode dar.

O Invencível Homem de Ferro: Síndrome de Frankenstein – Nesse encadernado lançadao pela Panini, vemos um Tony Stark querendo ser um homem comum mas que tem sua relativa tranquilidade interrompida quando inimigos e amigos do seu passado reaparecem relacionados à uma seita de fanáticos pela tecnologia do Homem de Ferro.

As Aventuras de Pi,  Yann Martel – Acabei de ler esse hoje e estou vivendo aquela ressaca literária depois de um livro maravilhoso. Uma história sobre diferentes jeitos de encarar a fé em Deus e conciliar diversas religiões e incríveis reflexões sobre como contar uma história.

Ouvindo…

Far From Alaska – Muito peso, uma técnica apuradíssima e letras incríveis no som dessa jovem banda do Rio Grande do Norte. O álbum modeHuman de 2014 é super bem produzido e é difícil ouvir uma só faixa sem querer pegar o disco todo, mas “Mama” é uma canção que tenho ouvido freneticamente.

Hozier – Ouvi meio que sem querer o single “Take Me To Church” numa apresentação durante o The Voice, fui buscar a versão original e vi que, além desse hit, o álbum também chamado Hozier tem lindos arranjos vocais e instrumentais, com um ar quase gospel e muita influência do blues e country antigos.  “To Be Alone” está em quase todas as minhas playlists.

Daniela Araújo – Lindas letras, uma produção incrível com arranjos que passeiam entre o pop e o sublime, além da linda voz da paulistana, fazem os seus discos se destacarem em meio a um mercado gospel quase que pasteurizado e dominado por sertanejos universitários, letras fracas e repetições de fórmulas. O álbum “Criador do Mundo” é outro que toca quase sempre quando tô andando de trem. “Porto Seguro” e “Entrega” são as minhas favoritas desse disco que, a cada vez que ouço, me revela um detalhe que eu ainda não tinha sacado.

August Burns Red – E é claro que não podia faltar um bom metalcore. Descobri num vídeo relacionado aleatório do youtube e decidi buscar mais dos caras pra ouvir e fiquei maravilhado com o que ouvi. Pelas letras que são verdadeiros socos na cara e pesquisando depois vi que os caras são cristãos e o instrumental não deixa a nada a dever. Bons arranjos, riffs super originais e um trabalho melódico muito bem combinado com os trechos mais sujos equilibram o som da banda de uma forma sensacional. O álbum “Leveler” de 2011 está sempre rolando nos meus fones de ouvido no trabalho. “Salt and Light” é a minha favorita desse disco.

Acessando…

pinterest

Tenho usado basicamente as redes sociais. Sigo usando muito o Pinterest, fazendo minhas boards com coisas legais que acho por aí.

Nikita Kaun no Instagram

No instagram, ando viciado no perfil da russa Nikita Kaun, uma artista sensacional da Rússia que faz mágica com tinta em preto e branco.

Grzesiek Wróblewski no Behance

E no behance, descobri o incrível trabalho do polonês Grzesiek Wróblewski, que cria mundos inteiros cheios de detalhes em seus sketchbooks.


Espero que tenham gostado desse formato de post que pretendo usar um pouco enquanto o ritmo não desacelerar. E vocês, o que andaram vendo/lendo/ouvindo/acessando esse mês? Contem pra mim aqui embaixo nos comentários!

Anúncios

Um comentário sobre “Por onde andei em: abril/2015

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s