Omniblues (canção do engarrafamento)

Olho pro papel: nenhuma linha escrita;

Olho pro teto: ócio, mente aflita.

Tento descobrir de onde vem a inspiração,

o que faz você escrever uma canção.

Tem quem faça pelo amor, outros só pra não explodir,

há quem faça pela dor de ver alguém partir.

Nesse engarrafamento da cabeça, as ideias tem pressa

por isso se atrapalham ao sair.

Tanta coisa a ser dita ao mesmo tempo que é difícil decidir

Se falo do trânsito ou do coração

(o que é mais nobre dentro da canção?)

Barulho de motores, gente dormindo, velhas dores,

gente que não se olha, chuva que molha

o asfalto que se cobre de cores

do diesel que sai do capô,

do cara que pede um favor.

Quantos corações partidos cabem num engarrafamento?

Quantos carros quebrados você guarda por dentro?

Quilômetros por hora, tempo que devora casas e canções,

chuva que não para, olhos fechados, orações.

Água enche: velha enchente nos barracos.

Tudo te enche: o que preenche esse buraco?

Vendo no mesmo lugar coisas diferentes,

quanto mais perto fica

mais

distante

parece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s