Não era preciso (o corpo fala)

Não era preciso o “Olá!”,

os olhos já se cruzaram.

Não era preciso o “Tudo bem?”.

o sorriso no rosto já respondeu.

Não era preciso contar o final de semana,

os ouvidos escutariam qualquer coisa desde que fosse dita pelos lábios corretos.

Não era preciso pedir companhia para o passeio,

as mãos já se uniram e conduzem juntos os corpos

Não era preciso cantar,

a música surge a todo instante através dos sentidos.

Não era preciso esse poema,

todo o lirismo se expressa pela ação espontânea e também pela falta dela.

Anúncios

4 comentários sobre “Não era preciso (o corpo fala)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s