Maquiagem

Para não mostrar o indesejado,

esconder as imperfeições,

Tentativa de congelar o Tempo.

Trevas,

no fundo da névoa branca do pó de arroz

Pecado,

oculto pela aparência impecável

Para os outros, falsa perfeição (é o que desejam)

Para si mesmo, decadência (o que tenta esconder)

Com toda a energia esforça-se para não deixar transparecer a verdadeira essência,

Criando, à verdade, resistência.

Mas, aos poucos, a maquiagem perde o poder

não é mais eficaz.

O que deveria esconder, os vermes revelam

Putrefazendo o que nunca foi virtuoso.

O pecado aparece

A pele, antes perfeita, apodrece

O que deveria ser oculto aos outros, escapa

A maquiagem se esvai

E, com ela, toda uma falsa vida…

Anúncios

8 comentários sobre “Maquiagem

  1. Pow não conhecia esse seu lado poeta. Se tiver mais poste aqui para a gente ver, pois ficou muito legal esse tom fúnebre para falar desse assunto que são as máscaras muito utilizadas no nosso cotidiano.

  2. diego poeta rapá! não conhecia esse seu lado poeta [2]
    muito bom cara! escreva e post sempre mais… ja ganhou mais uma leitora =)
    logo vai estar escrevendo livro =O

  3. Foda, cara! Achei muito boa a sua mistura do palavreado ultra-romântico aplicado na crítica ao modo de vida contemporâneo. Aliás, que maquiagem você usa pra eu nunca ter sabido do seu eu-poeta? hahaha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s